Enviando sua mensagem...

Arquivo anexado

Ciências

Conheça as 3 técnicas essenciais de manejo de irrigação nas lavouras

Compartilhe:

Conheça as 3 técnicas essenciais de manejo de irrigação nas lavouras

A água é um dos componentes mais importantes para vida orgânica, contribuindo com o seu desenvolvimento e crescimento. Tanto a falta quanto o excesso de água pode afetar drasticamente o agronegócio, causando prejuízos, por vezes, irreparáveis. Desta maneira, na produção agrícola, é fundamental que o manejo de irrigação seja feito adequadamente.


Percebendo a importância do bom gerenciamento de água na lavoura, os agricultores precisam estar atentos e buscar as melhores técnicas de manejo a serem utilizadas para administrar a disponibilidade da água, de acordo com as necessidades de cada cultivo. Para isso, todas as ações devem ser feitas a partir de dados coletados da propriedade para melhorar essa distribuição de água, economizar e garantir uma boa produtividade.


Mas afinal, qual é a melhor técnica de manejo de irrigação na lavoura? Essencialmente existem 3 técnicas de manejo de irrigação:


1. Manejo de irrigação via solo

Indicado para todos os tipos de culturas e irrigação, no manejo de irrigação via solo o equipamento de medição é implantado direto na superfície para medir a disponibilidade hídrica da planta.


Para obter a quantidade adequada de água para cada tipo de solo e identificar em qual momento deve ser aplicada, é fundamental observar o CAD - Capacidade de Água Disponível. O CAD considera um limite máximo para que não ocorra a lixiviação do solo - quando o excesso de água “lava o solo” retirando os nutrientes necessários dele para a agricultura , assim como um  limite mínimo para que a água não se torne indisponível. Para entender os números do CAD, é necessário identificar características físico-hídricas do solo - que indicam a capacidade de retenção ou não retenção a água no solo.


Apesar de ser um manejo universal nas lavouras, o manejo de irrigação via solo é mais eficiente em sistemas de irrigação localizada, como o gotejamento e a microaspersão. Quando o sistema é bem projetado, o proveito da água pode chegar a 80% sem colocar a produção em perigo.


A única desvantagem deste método é que não há registro de dados meteorológicos (importantes para uma boa gestão do manejo da irrigação) pois ele depende, fundamentalmente da curva de retenção da água no solo (indicador de qual volume de água é mais adequado para cada tipo de solo).


2. Manejo da irrigação via atmosfera

Indicado para todas as culturas e variados tipos de irrigação, o manejo via atmosfera é mais utilizado em sistemas de irrigação por aspersão.


Essa técnica é muito utilizada em cultura de grãos, pois permite o monitoramento das condições meteorológicas na região e suas influências no consumo de água da planta pela evapotranspiração (perda de água do solo por evaporação e perda de água da planta por transpiração) de maneira bem eficaz.


O manejo de irrigação via atmosfera visa repor a água perdida do solo e da planta pela demanda atmosférica atmosfera no dia ou nos dias que sucederam desde a última irrigação. A contabilização da quantidade de água a ser restituída é feita por meio do balanço hídrico, que considera como dados todos os fluxos de entrada/saída de água do solo explorado pelas raízes, considerando as chuvas, orvalho e a irrigação como as fontes de recursos hídricos.


3. Manejo de irrigação integrado

A técnica de manejo de irrigação integrado incorpora solo e atmosfera, e pode ser indicada para todos os sistemas de irrigação e culturas.


Esse tipo de manejo é um dos sistemas mais avançados em termos de informações levantadas. A coleta de dados do ambiente atmosférico e superfície onde estão plantados os cultivos é tão eficaz que é possível recomendar o volume de água de forma precisa para cada etapa de desenvolvimento da planta. Isso ajuda a evitar prejuízos e otimizar a irrigação da lavoura. Justamente por isso o manejo integrado é um dos mais importantes aliados dos empreendimentos agrícolas.


A união dos dados de níveis de evapotranspiração e a variação de umidade no solo, facilita prever a hora certa de irrigação o plantio, de forma efetiva e sem desperdícios! Por outro lado, o sistema integrado limita bastante o seu uso a pequenas porções, já que é, normalmente, utilizado em áreas menores.


É essencial que um agricultor invista em manejo de irrigação próprio para a sua lavoura. Uma das maneiras mais efetivas de melhorar cada vez mais o processo de irrigação na sua lavoura é analisar os dados sobre o terreno e o espaço em geral (dados sobre o solo, sobre as condições atmosféricas e sobre a repartição da água), pois isso garantirá a alta produtividade nas terras e vida prolongada dos cultivos.


Agrofel

Há mais de 43 anos no Rio Grande do Sul ao lado do agricultor do plantio a colheita com soluções integradas para a busca de altas produtividades.

Atendimento

Central de Atendimento

Fone: 55 51 3326-5000
Atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.
Matriz: Avenida Bagé, 1430 | Bairro Petrópolis | Porto Alegre | RS | CEP: 90460-080

Associados

Canais de Denúncias