Enviando sua mensagem...

Arquivo anexado

Ciências

Brusone - Uma das principais doenças do arroz

Compartilhe:

Você conhece as principais doenças do arroz?

Uma das principais doenças do arroz, e já conhecida pelos agricultores é a brusone, considerada a doença mais importante da cultura ocasionando severas perdas na qualidade de grãos e produtividade. Outras doenças do complexo que ocorrem são: mancha parda, escaldadura, mancha das glumas, mancha de alternaria entre outras, todas são bastante agressivas e provocam perdas significativas. Por isso, conhecer bem esses problemas, saber identificar e como proceder o manejo é importante para assegurar a produtividade na lavoura de arroz.

O patógeno tem um grande poder destrutivo, infectando as plantas em todos os estádios de desenvolvimento. “Os prejuízos são variáveis, sendo maiores em regiões tropicais, em função do menor peso dos grãos e do aumento da esterilidade de espiguetas. Em condições favoráveis, a perda de produtividade da lavoura pode chegar a 100%. Por este fator, mais do que nunca, é preciso monitorar as lavouras, além do ataque do patógeno nas folhas a condição climática atual e o estádio da cultura no campo predispõe o aparecimento de sintomas no pescoço”, esclarece o gerente técnico da Agrofel Grãos e Insumos, Felipe Dresch.

Os sintomas da brusone do arroz incluem lesões que podem ser encontradas em toda parte aérea da planta: folhas, colmo, pescoço e panículas, o mais comum e característico é a lesão em forma de diamante. Essas manchas podem aumentar de tamanho no sentido da nervura, tendo o centro cinza e as bordas de coloração marrom.

Se a brusone ocorrer antes do aparecimento de grãos leitosos, é possível observar panículas esbranquiçadas. Esse é um sintoma facilmente identificável no campo. Mas, se a infecção ocorrer mais tardiamente, pode ocasionar redução no peso dos grãos e quebra da panícula, o que é chamado de “brusone de pescoço”.

O fungo causador da brusone é disseminado pelo vento, fazendo disso um fator importante para a infecção de novas plantas dentro da mesma lavoura e áreas próximas de uma área infectada. Calor e umidade e temperaturas entre 20ºC a 25ºC favorecem o desenvolvimento do patógeno, avalia Dresch. O gerente ainda lembra que o fungo, sobrevive nos restos da cultura, sementes e em plantas de arroz que possam permanecer no campo. “Por isso é mais que necessário deixar a lavoura limpa”.

Outra característica que precisa ser considerada, é que a incidência, e severidade da brusone aumentam quando existe um desequilíbrio nutricional nas plantas, como, por exemplo, doses excessivas de nitrogênio.

Importante sempre lembrarmos que em todas as culturas visamos o controle de um complexo de doenças e não somente a ocorrência de forma isolada no ciclo da cultura, o monitoramento e identificação dos patógenos é o principal e determinante fator de sucesso na implantação de práticas de controle e manejo mais adequadas em cada situação, pondera Dresch.


Quer saber mais? Conheça as principais doenças do arroz. 

Agrofel

Há mais de 43 anos no Rio Grande do Sul ao lado do agricultor do plantio a colheita com soluções integradas para a busca de altas produtividades.

Atendimento

Central de Atendimento

Fone: 55 51 3326-5000
Atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.
Matriz: Avenida Bagé, 1430 | Bairro Petrópolis | Porto Alegre | RS | CEP: 90460-080

Associados

Canais de Denúncias